CPA

Atendendo ao que dispõe a Lei n. 10.861 de 04 de abril de 2004 que institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES, A Faculdade BSSP, possui instituída a Comissão Própria de Avaliação – CPA, com representantes da comunidade interna e externa, visando o cumprimento dos propósitos estabelecidos pela Instituição e pelo MEC.

Introdução

O projeto de Autoavaliação que a CPA encaminha à CONAES é o instrumento norteador das discussões junto à comunidade acadêmica. A metodologia e o conjunto de instrumentos que compõem o processo avaliativo resultam de um processo inicial de debates internos, estando sujeitos, ainda, a ajustes que porventura sejam considerados imprescindíveis durante os processos avaliativos.

A CPA da Faculdade BSSP é instituída por portaria própria, com a atribuição de conduzir o processo de avaliação interna, por meio de um trabalho sistemático que atenda aos princípios de gestão democrática e participativa, desenvolvendo uma ação articulada com as Diretorias, às coordenações de curso e gerências da Instituição e ao Conselho Superior – CONSUP, garantindo dessa forma, o processo de construção coletiva. A CPA é composta de representantes dos Corpos Docente, Técnico-Administrativo, Discente e da Comunidade.

É utilizado, na elaboração de seu projeto, todo material disponibilizado pelo MEC/INEP. Tem envolvimento dos diversos setores acadêmicos por meio de envio de material informativo para análise e apresentar as contribuições.

Compreendendo que a avaliação tem primordialmente funções formativas, com fins voltados para a consolidação de um processo de comunicação em que se possa apontar informações das condições de funcionamento da IES em suas várias dimensões, o projeto se apresenta como um meio para a sistematização e a circulação destas de modo que reflitam a identidade da Instituição, evidenciando as suas realizações e suas potencialidades.

Conforme a legislação atual, a avaliação da IES, nos moldes determinados pela CPA, tem por objetivo identificar o perfil Institucional e o significado da sua atuação, por meio de suas atividades, cursos, programas, projetos e setores.

A Faculdade BSSP, desenvolve o seu plano de Autoavaliação Institucional com ênfase em princípios, procedimentos e critérios das dimensões apresentadas nos Instrumentos de Avaliação do MEC, de modo a tornar relevante este processo de ensino-aprendizagem, gestão, avaliação de desempenho de funcionários e docentes sob a ótica de um processo de avaliação embasado no processo de avaliação interna que conta com a participação de toda a comunidade acadêmica.

Os órgãos gestores da Instituição têm consciência de que é preciso formular um projeto didático-pedagógico diferenciado para se conseguir galgar um grau de qualidade construído de maneira segura e em termos progressivos, visando satisfazer a critérios de excelência acadêmica no processo ensino-aprendizagem. A eficácia desse processo deve ser permanentemente avaliada por meio da Comissão de Avaliação, a qual tem autonomia para apontar possíveis deficiências. Para tanto, a CPA é constituída por membros eleitos por seus pares, com representação de todos os segmentos da comunidade acadêmica.

A Faculdade BSSP desenvolve a avaliação institucional permanente, como forma de busca incessante por melhoria da qualidade do ensino, da pesquisa e da extensão. Isso implica mudanças profundas e constantes, introduzidas de maneira democrática, dialogada e resultante de cuidadoso processo de avaliação institucional.

A qualidade será a consequência natural desse processo, seja no ensino oferecido, seja nos projetos de extensão, e mesmo na dimensão da pesquisa. Tal objetivo implica a interação entre dirigentes e corpos docente e discente, irmanados no ideal comum de apresentar à sociedade um ensino superior partícipe da comunidade, apto a responder os desafios do mundo contemporâneo.

A avaliação Institucional deve ser incorporada no dia-a-dia da instituição, de maneira a criar uma cultura de avaliação. Tanto a Direção da Faculdade, como professores e alunos colaboram ativamente com as atividades de avaliação, de maneira a tornar o processo participativo, coletivo, autônomo, livre de ameaças, crítico e transformador dos sujeitos envolvidos e da instituição. Professores, alunos, funcionários administrativos deverão constituir a tríade de um processo, respondendo questionários, registrando os aspectos positivos e negativos da Instituição, assim como de seus cursos, discutindo em grupo os problemas de ensino e também dando sugestões sobre as mudanças que devem ser introduzidas no ensino e na instituição como um todo.

Logo, na qualidade de processo permanente, a avaliação será utilizada como um instrumento para identificar problemas, para introduzir as mudanças que signifiquem uma melhoria da qualidade do ensino e da instituição.

Boa Sorte

Sabedoria

Prosperidade

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
O que você está procurando?
Generic filters